CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL - Dr.João Santos Caio Jr.et Dra.Henriqueta V.Caio

segunda-feira, 9 de abril de 2012

HÁ EVIDÊNCIAS DE UM AUMENTO CONTÍNUO DO VALOR MÉDIO DA CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA (CC) E DA PREVALÊNCIA DE OBESIDADE ABDOMINAL ENTRE ADULTOS NORTE-AMERICANOS, ASSIM COMO NO MUNDO TODO – ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA.

A deposição de gordura abdominal é um componente-chave da obesidade. Alguns, mas não todos, estudos têm mostrado que a circunferência da cintura (CC) pode ser um melhor preditor para o risco de infarto do miocárdio, diabetes tipo 2, síndrome metabólica, os custos dos cuidados médicos, e todas as causas de mortalidade do que o índice de massa corporal (IMC). A circunferência da cintura (CC) é uma maneira simples e conveniente de medir a obesidade abdominal ou central e é um determinante importante do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III (NCEP ATP III) e Federação Internacional de Diabetes critérios para a definição e diagnóstico da síndrome metabólica. A circunferência da cintura (CC) tem sido proposta para ser rotineiramente usada como parte de avaliações clínicas de riscos cardiovasculares e interpretação dos riscos de saúde relacionados com a obesidade. Na verdade, recomenda-se que a circunferência da cintura (CC) deve ser medida, especialmente em pessoas com um IMC de 25,0 a 34,9 kg/m 2. Embora a prevalência de obesidade global, medida pelo índice de massa corporal (IMC) esteja bem documentado e tem aumentado dramaticamente nas últimas 2 décadas nos Estados Unidos, pouco se sabe sobre a tendência secular de obesidade abdominal.

Os dados do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES) III e NHANES 1999-2000 mostraram um aumento no valor médio da circunferência da cintura (CC) e prevalência de alto risco da circunferência da cintura (CC) entre os adultos dos Estados Unidos. Este estudo estende o relatório por Ford et al. e utiliza os dados nacionais mais recentes para os períodos de 2001-2002 e 2003-2004 para examinar as recentes tendências seculares no valor médio da circunferência da cintura (CC) e da prevalência de obesidade abdominal do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES III) (1988-1994) para NHANES 2003-2004 e de NHANES 1999-2000 para 2003-2004 NHANES entre os adultos norte-americanos. As medidas do corpo dos participantes da pesquisa foram feitas através de métodos e equipamentos padronizados. Para todas as medidas, os participantes do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES) usaram roupa de baixo, vestidos de papéis descartáveis, calças de papel e chinelos de borracha de espuma. A circunferência da cintura (CC) foi medida utilizando-se uma fita de aço medindo de 0,1 cm no ponto mais alto da crista ilíaca, à respiração mínima. O peso foi medido em uma balança Toledo auto-zero (Mettler-Toledo, Columbus, OH), e a altura foi medida com um estadiômetro em milímetro. O índice de massa corporal (IMC) foi calculado a partir do peso e altura medidos e foi categorizada em três grupos (normal, <25 kg / m 2 , sobrepeso, 25 a 29,9 kg / m 2 e obesos, maior do que 30 kg / m 2 ), de acordo com critérios da Organização Mundial da Saúde. Outras variáveis ​​incluídas nas análises foram: sexo, idade, raça / etnia (ou seja, branco, Africano-Americana, o mexicano-americano, e outros), e anos de educação. Os dados mais recentes do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES) 2001-2002 e 2003-2004 fornecem evidência de um aumento contínuo do valor médio da circunferência da cintura (CC) e da prevalência de obesidade abdominal entre adultos norte-americanos em comparação com os dados do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES III) (1988-1994) e NHANES 1999-2000.

AUTORES PROSPECTIVOS 

Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930 

Como saber mais:
1. A deposição de gordura abdominal é um componente-chave da obesidade...
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com



2. Pouco se sabe sobre a tendência secular de obesidade abdominal...
http://imceobesidade.blogspot.com/




3. A circunferência da cintura (CC) foi medida utilizando-se uma fita de aço medindo de 0,1 cm no ponto mais alto da crista ilíaca, à respiração mínima...
http://diabetesmellitustipo2cia.blogspot.com/

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas:
Prof. Dr. João Santos Caio Jr – Van Der Häägen – Brazil, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio – Van Der Häägen – Brazil, São Paulo – Brasil, Silva, AM. (2002) O tecido adiposo:. Um mediador de risco cardiovascularInt J Obes Relat Metab Disord. 26 (Supl 4): S5-S7. Yusuf, S., Hawken, S., Ounpuu, S., et al (2005) A obesidade eo risco de infarto do miocárdio em 27.000 participantes de 52 países: um estudo caso-controle Lancet 366 : 1640-1649. Wang, Y., Rimm, EB, Stampfer, MJ, Willett, WC, Hu, FB. . (2005) Comparação da adiposidade abdominal e obesidade geral em predizer o risco de diabetes tipo 2 entre os homens Am J Clin Nutr. 81 : 555-563. Han, TS, Williams, K., Sattar, N., Hunt, KJ, Lean, ME, Haffner, SM. (2002) Análise da obesidade e hiperinsulinemia no desenvolvimento da síndrome metabólica:. San Antonio Heart Study Obes Res. 10 : 923-931. Cornier, MA, Tate, CW, Grunwald, GK, Bessesen, DH. (2002) Relação entre a circunferência da cintura, índice de massa corporal, e os custos dos cuidados médicos. Res EFCs. 10 : 1167-1172. Bigaard, J., Frederiksen, K., Tjonneland, A., et al (2005) A circunferência da cintura e composição corporal em relação a todas as causas de mortalidade em homens de meia idade e mulheres. OBEs Int J (Lond) 29 : 778 - 784. Pouliot, MC, Despres, JP, Lemieux, S., et al (1994) A circunferência da cintura e diâmetro abdominal sagital:. Melhores índices antropométricos simples da acumulação de tecido adiposo visceral abdominal e risco cardiovascular relacionado com homens e mulheres Am J Cardiol. 73 : 460-468. Painel de Especialistas sobre a detecção, avaliação e tratamento do colesterol elevado em adultos (2001) Sumário Executivo do Terceiro Relatório do National Cholesterol Education Program (NCEP) Painel de Especialistas sobre Detecção, Avaliação e Tratamento do colesterol alto no sangue em Adultos (Adult Treatment . Panel III) JAMA 285 : 2486-2497. Federação Internacional de Diabetes A definição Consenso IDF Mundial da Síndrome Metabólica (Acessado em 3 de abril, 2006).


Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID: 111*101625
Rua: Estela, 515 – Bloco D -12ºandar - Conj. 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
E-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com



Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/



 Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br



Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

quarta-feira, 4 de abril de 2012

PERIGOS DA OBESIDADE INTRA - VISCERAL, INTRA -ABDOMINAL, OU CENTRAL AO SE COMPARAR A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA QUE É INFLUENCIADA POR VIA SUBCUTÂNEA, ASSIM COMO PELO TECIDO ADIPOSO VISCERAL NA PROGRESSÃO DA IDADE. ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA.


Apesar de uma maior circunferência de cintura (> 90 cm para homens e> 80 cm para mulheres) mostrou uma tendência para uma associação positiva na análise univariada, essa relação não foi significativa na análise multivariada. "A circunferência da cintura é influenciada por via subcutânea, assim como o tecido adiposo visceral, portanto, uma medida direta do tecido adiposo visceral com a CT (tomografia computadorizada) pode ter sido mais válido do que medidas antropométricas, como a circunferência da cintura" quando mensuradas por uma simples fita métrica, explicou o Dr. Yoon. Tercis da área de tecido adiposo subcutâneo não foram relacionados ao desempenho cognitivo deficiente. "O tecido adiposo visceral ou gordura visceral, é metabolicamente mais ativa do que o tecido adiposo subcutâneo e tem uma forte influência sobre a resistência à insulina, entre outras coisas", disse Yoon. "Ele tem sido considerado como um compartimento de tecido patogênico (de doenças), e esta pesquisa mostra uma associação agravante entre a área de tecido adiposo visceral e funcionamento cognitivo baixo.Em idosos mais velhos não foram observadas associações entre qualquer das medidas de obesidade – IMC (índice de massa corporal) elevado, circunferência da cintura, visceral ou subcutânea área de tecido adiposo - e desempenho cognitivo deficiente no grupo etário mais velho. "Esta descoberta sugere que a relação da adiposidade visceral e baixo desempenho cognitivo diminuem com a idade", disse Yoon. ”O envelhecimento é caracterizado por uma perda de massa corporal magra (músculos) e medidas de adiposidade como IMC (índice de massa corporal) são menos úteis em pessoas idosas”. “Dr. Yoon observou que um IMC (índice de massa corporal) mais elevado está relacionado ao menor risco de demência em idosos, e que é possível que pessoas com IMC (índice de massa corporal) baixo, podem realmente perder peso por causa de demência pré-mórbida”. "É também possível que um IMC (índice de massa corporal) baixo seja consequência da hiperinsulinemia, que precede a perda de peso e está relacionado com maior risco de demência", disse ele.


O que as pesquisas concluem, é que a perda da musculatura é mais prejudicial em idade avançada do que a perda de gordura, entretanto alerta que a obesidade tem outros comprometimentos como artrites, artrose e moléstias metabólicas que são absolutamente inconvenientes e deve-se fugir deste mau que permeia a raça humana, prevenindo-se.
    

AUTORES PROSPECTIVOS 

Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930 

Como saber mais:
1. A circunferência da cintura é influenciada por via subcutânea, assim como o tecido adiposo visceral...
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com


2. O tecido adiposo visceral ou gordura visceral, é metabolicamente mais ativa do que o tecido adiposo subcutâneo e tem uma forte influência sobre a resistência à insulina, entre outras coisas...
http://imceobesidade.blogspot.com/



3. É também possível que um IMC (índice de massa corporal) baixo seja consequência da hiperinsulinemia, que precede a perda de peso e está relacionado com maior risco de demência...
http://diabetesmellitustipo2cia.blogspot.com/


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.


Referências Bibliográficas:Prof. Dr. João Santos Caio Jr – Van Der Häägen – Brazil, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio – Van Der Häägen – Brazil, São Paulo – Brasil, autor, Dae Hyun Yoon, MD, PhD, professor associado de psiquiatria, Seoul National University Hospital, na Coréia - Março /22, 2012

Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua: Estela, 515 – Bloco D -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com



Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/




Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br


Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

OBESIDADE CENTRAL VINCULADA À COGNIÇÃO POBRE, PASSANDO PELA PRESSÃO ALTA, DIABETES, ALTERAÇÕES DE COLESTEROL, LDL COLESTEROL OU MAU COLESTEROL ENTRE OUTROS PROBLEMAS. ENDOCRINOLOGIA - NEUROENDOCRINOLOGIA.

A gordura ou adiposidade visceral e um elevado índice de massa corporal (IMC) estão associados com o funcionamento cognitivo pobre em adultos mais velhos, embora apenas nos mais novos de 70 anos, sugere um novo estudo, pois como definição, principalmente quando diminuída em pessoas mais jovens, deve ser combatida com todas as armas do arsenal terapêutico existente. É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento e na percepção, também na classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas. De uma maneira mais simples, podemos dizer que cognição é a forma como o cérebro percebe, aprende, recorda e pensa sobre toda informação captada através dos cinco sentidos. Mas a cognição é mais do que simplesmente a aquisição de conhecimento e consequentemente, a nossa melhor adaptação ao meio; é também um mecanismo de conversão do que é captado para o nosso modo de ser interno. Ela é um processo pelo qual o ser humano interage com os seus semelhantes e com o meio em que vive, sem perder a sua identidade existencialEla começa com a captação dos sentidos e logo em seguida ocorre a percepção. É, portanto, um processo de conhecimento, que tem como material a informação do meio ambiente em que vivemos e o que já está registrado na nossa memória. Os resultados têm importantes implicações na saúde pública, especialmente com o envelhecimento da população, disse o autor, Dae Hyun Yoon, MD, PhD, professor associado de psiquiatria, Seoul National University Hospital, na Coréia. "A prevenção da obesidade, obesidade particularmente central, visceral, ou intra-abdominal, pode ser importante para a prevenção do declínio cognitivo ou demência", disse o Dr. Yoon à Medscape Medical News. O estudo incluiu 250 pacientes com pelo menos 60 anos de idade que tinham sido submetidos a tomografia computadorizada (TC) para rastreamento do sistema digestivo. Os pesquisadores classificaram em gordura visceral e áreas de tecido adiposo subcutâneo em CT (tomografia computadorizada) para o sexo-específicos em tercis pacientes com menos de 70 anos e mais velhos. A maior tercil era uma área de tecido adiposo visceral maior do que 149,0 centímetros 2 para os homens e maior do que 123,7 centímetros 2 para as mulheres segmentos intra abdominais. Os pesquisadores avaliaram o peso e altura para determinar o IMC, com a obesidade definida como um IMC de 25 kg / m 2 ou maior. Eles também mediram a circunferência da cintura. Foram também considerados fatores de risco de confusão, como glicemia de jejum, colesterol total, triglicérides, lipoproteína de alta densidade LDL – mau colesterol, colesterol e fatores que poderiam afetar comprometimento cognitivo (como tabagismo e consumo de álcool). Comparado com os participantes não obesos com idade inferior a 70 anos, os participantes obesos eram geralmente mais velhos, tinham maior probabilidade de ser do sexo masculino, e eram mais propensos a ter uma maior prevalência de desempenho cognitivo pobre e hipertensão arterial ou pressão alta. Os parâmetros de comparação do quadril/abdômen tem um significado importante comparativo, sendo mais intensos os sintomas em pessoas com a gordura visceral ou intra-abdominal se comparado aos quadris. Portanto, quem acha que a barriguinha é inofensiva está completamente equivocado de maneira séria e terá uma progressão negativa em sua qualidade de vida.

AUTORES PROSPECTIVOS 


Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611 

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930

Como saber mais:
1. A gordura ou adiposidade visceral e um elevado índice de massa corporal (IMC) estão associados com o funcionamento cognitivo pobre em adultos mais velhos, embora apenas nos mais novos de 70 anos...
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com/



2. Mas a cognição é mais do que simplesmente a aquisição de conhecimento e consequentemente, a nossa melhor adaptação ao meio...
http://imceobesidade.blogspot.com/



3. Comparado com os participantes não obesos com idade inferior a 70 anos, os participantes obesos eram geralmente mais velhos...
http://diabetesmellitustipo2cia.blogspot.com/


AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA.


Referências Bibliográficas:
Prof. Dr. João Santos Caio Jr – Van Der Häägen – Brazil, Dra. Henriqueta Verlangieri Caio – Van Der Häägen – Brazil, São Paulo – Brasil, autor, Dae Hyun Yoon, MD, PhD, professor associado de psiquiatria, Seoul National University Hospital, na Coréia - Março /22, 2012.



Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua: Estela, 515 – Bloco D -12ºandar - Conj. 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - CEP 04011-002
E-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com



Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/



Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br


Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

terça-feira, 20 de março de 2012

ALTO TEOR DE GORDURA DOS ALIMENTOS DISPARA INTERRUPTOR PRINCIPAL DO DIABETES MELLITUS TIPO 2, E JUNTAMENTE COM A SÍNDROME METABÓLICA ACOMPANHA TODAS AS DOENÇAS NEFASTAS DA SÍNDROME.


O gene, conhecido como LD1, também parece ser um "regulador mestre", pondo em movimento uma série de mudanças importantes na doença, Insulina desempenha um papel vital em manter nossa glicose no sangue dentro de limites apertados, removendo-a da corrente sanguínea. O figado é o principal acumulador de glicose, que é gordura de reserva, e interfere de forma drastica em todo o metabolismo energético que nos é de suma importância para a sobrevida. Cientistas na Austrália revelaram que eles poderiam estar à beira de um desenvolvimento empolgante em reverter diabetes tipo 2. Descoberta dos pesquisadores envolve um gene específico e a sua ruptura de insulina no pâncreas produção em resposta a dietas ricas em gorduras. Os resultados do estudo foram publicados na revista "Diabetes". Mais de 700.000 australianos foram diagnosticados com diabetes tipo 2. Não há atualmente nenhuma cura para a doença; causada por uma variedade de fatores hereditários e ambientais, inclusive a falta de exercício, má alimentação, obesidade, diabetes tipo 2 afeta mais comumente os indivíduos mais velhos. A doença prejudica a capacidade das células beta do pâncreas de produzir insulina, que remove o açúcar a partir da corrente sanguínea e transporta-a para as células a serem utilizados como energia .

Em aqueles que seguem uma dieta saudável e exercício físico regular, o gene a ser estudada pelos pesquisadores australianos - conhecido como LD1 - geralmente não ativos, e assim a produção de insulina não é prejudicada. No entanto, de acordo com os pesquisadores, uma dieta rica em gordura ativa o gene e interrompe a produção de insulina nas células beta do pâncreas. Conduzindo a sua pesquisa no Diabetes e Obesidade Programa de Pesquisa do Instituto Garvan de Pesquisa Médica de Sydney, na Austrália, a equipe de pesquisa baseado suas conclusões em experiências feitas com o objetivo de minorar e descobrir métodos e terapêuticas para solucionar este grave problema silencioso. De acordo com a ADA – Americam Diabetes Association, cerca de 46 % em todo o mundo que possuem síndrome metabólica , onde a obesidade, obesidade visceral, ou obesidade intra abdominal, não tem consciência de que possuem diabetes mellitus tipo 2, que embora seja uma doença crônica, a perda de peso influenciará diretamente em minorar esse flagelo mundial, não importa a quantidade que se perde pois sempre é positivo sua diminuição , e melhora do diabetes tipo 2, dislipidemia, pressão alta,problemas cardiovasculares, etc. Previna-se, procure seu endocrinologista ou neuroendocrinologista.

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr. 
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio 
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

Como saber mais:
1. A visão recente de todos os modelos de doença cardiovascular (DCV) aplicáveis ​​a pacientes com diabetes mellitus tipo 2 não está disponível...
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com

2. A maioria dos modelos de previsão desenvolvidos para a população em geral e para os que desenvolvem diabetes mellitus tipo 2 pode, portanto, ser aplicada à população que desenvolve diabetes...
http://imceobesidade.blogspot.com/



3. Modelos de predição clínica precisos fornecem estimativas precisas e validadas o risco de o resultado-alvo, a fim de ser útil para a tomada de decisão clínica...
http://diabetesmellitustipo2cia.blogspot.com/



AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas: 
Prof.Dr João Santos Caio Jr – Van Der Häägen – Brazil, Dra Henriqueta Verlangieri Caio – Van Der Häägen – Brazil, São Paulo – Brasil, Amy G. Huebschmann, MD, da Universidade de Colorado School of Medicine, em Aurora, e colegas; Diabetes Care - publicado em 29 de junho de 2011.


Contatos:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua: Estela, 515 – Bloco D -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com



Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/



Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

sexta-feira, 16 de março de 2012

GORDURA CORPORAL GLÚTEO - FEMORAL COMO DETERMINANTE DA SAÚDE METABÓLICA, DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É UM METABÓLICO IMPORTANTE E FATOR DE RISCO CARDIOVASCULAR.

Distribuição da gordura corporal é um metabólico importante e fator de risco cardiovascular, pois a proporção de gordura abdominal corporal gluteofemoral se correlaciona com a obesidade e suas doenças associadas e também com a mortalidade. Aqui, fazemos uma revisão das evidências e dos possíveis mecanismos que suportam uma função específica de proteção de gordura corporal gluteofemoral. Estudos populacionais mostram que um aumento de massa glúteo - femoral e gordura é independentemente associada com um lipídeo de proteção e do perfil de glicose, bem como uma diminuição no risco cardiovascular e metabólica. Estudos da fisiologia tecido adiposo in vitro e in vivo confirmam propriedades distintas do depósito de gordura glúteo - femoral no que respeita à lipólise (queima de gordura ou termogenese) e absorção de ácidos gordos: no dia-a-dia do metabolismo parece ser mais passiva do que o depósito abdominal e exerce as suas propriedades protetoras por longo prazo de armazenamento de ácidos graxos. Além disso, um perfil de adipocina benéfico está associado com a gordura glúteo - femoralOs níveis de leptina e adiponectina estão associados positivamente com a gordura gluteofemoral, enquanto o nível de citocinas inflamatórias está associado negativamente. Finalmente, a perda de gordura glúteo - femoral, como observado na síndrome de Cushing e lipodistrofia (Lipodistrofia é uma anormal distribuição de gordura corporal. Pacientes tendem a desenvolver uma resistência a insulina, diabetes e altos níveis de triglicerídeos. Algumas formas são hereditárias e incluem a síndrome de Berardinelli-Seip.) está associada com um função metabólica aumentada e risco cardiovascular. Isto realça papel gordura glúteo - femoral como um determinante de saúde através do aprisionamento de longo prazo do excesso de ácidos gordos, protegendo assim a partir dos efeitos adversos associados com a deposição de gordura ectópica.

AUTORES PROSPECTIVOS

Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:
1. Estudos da fisiologia tecido adiposo in vitro e in vivo confirmam propriedades distintas do depósito de gordura glúteo - femoral no que respeita à lipólise (queima de gordura ou termogenese) e absorção de ácidos gordos...
http://drcaiojr.site.med.br



2. À perda de gordura glúteo - femoral, como observado na síndrome de Cushing e lipodistrofia (Lipodistrofia é uma anormal distribuição de gordura corporal. Pacientes tendem a desenvolver uma resistência a insulina, diabetes e altos níveis de triglicerídeos...
http://colesteroltriglicerides.blogspot.com/



3. Lipodistrofia é uma anormal distribuição de gordura corporal...
http://dracaio.site.med.br





AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.



Referências Bibliográficas: 
International Journal of Obesity (2010) 34, 949-959; 10.1038/ijo.2009.286; publicado on-line 12 de janeiro de 2010 - KN Manolopoulos , F Karpe e KN Frayn Oxford Centre for University, Diabetes, Endocrinologia e Metabolismo de Oxford, Oxford, UK NIHR Oxford Biomedical Research Centre, ORH Trust, OCDEM, Churchill Hospital, em Oxford, Reino Unido

Contatos:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com



Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br



Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br



Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17